quais medo! dizia-me a E, com aquela segurança, a dona da verdade…aquilo irritava-me. e continuava, as escolhas são tuas, pára de te lamentar e carry on

eu não domino essa balança, confessei. é tudo ou nada…a emoção comanda sempre a razão, torna-a possível…e depois, claro, será o mesmo processo em sentido inverso…neste momento a emoção comanda e mais importante que o medo de ter falhado, está o quê?

bem, tens 20 anos! exclamou a E, incrédula. se vives as tuas emoções assim, se desistes à primeira…nem sei que te diga…se fumasse ia fumar um cigarro

vamos! eu e A fumamos por ti. mas não me responderam…o que é mais importante nisto tudo? a razão, a emoção, o que falta?

sexo! falta sexo…não se vive sem ele, disse a A, descontraída e sorridente, dando a devida importância à questão. deslumbra-te e pensa menos.

rimos as três. o gordo ogre, com as costas cobertas de pintas de sangue, gritos desesperados das borbulhas que sucumbiram sob a camisa demasiado apertada, aproximava-se com o seu andar paquidérmico  e olhar demoníaco…achas que o Z fode? era a pergunta nos nossos olhos que ninguém verbalizou…viram a S? pergunta o ogre…a nossa resposta

voltámos e o dia seguiu o seu curso, e a questão não foi respondida

a. fonseca

Advertisements